A SELECÇÃO Nacional de Natação parte para mais uma tentativa, que se aventa inglória, a ter em conta o nível dos adversários que novamente enfrentará neste que é o terceiro dia do Campeonato Africano da modalidade, que decorre desde o último domingo, em Bloemfontein, Free State, na vizinha África do Sul.

As contas teriam sido mal feitas quanto à dimensão dos nadadores que desfilam neste campeonato, dentre eles os melhores do continente e com projecções mundiais. A ausência de nadadoras como Jéssica Cossa e Jannah Sonnenschein, que constavam da convocatória final para este evento, cimentou as dúvidas quanto às expectativas criadas. A promessa feita pela Federação Moçambicana de Natação de trazê-las para este evento dos países onde se encontram actualmente a residir e a nadar, respectivamente na Rússia e Holanda, redundou no fracasso e a possibilidade de Moçambique regressar com medalhas deste campeonato tornou-se ainda mais escassa, isto porque Igor Mogne continua a ser o único que até agora conseguiu chegar a uma final, nos 200 metros livres, no domingo, primeiro dia de competições.

À excepção de Igor Mogne, de quem ainda se pode esperar um milagre na luta pelos lugares do pódio, nenhuma esperança pode se depositar aos restantes nadadores nacionais, cujas marcas estão longe do alcance dos melhores tempos que dominam o “ranking” deste evento continental.

Ontem foi mais um dia inglório para os atletas moçambicanos

, porque nenhum dos quatro que se fizeram às competições passou das preliminares. Trata-se de Junaide Cane e Sumeia Damão, dupla que se estreou ontem; mais Ahllan Bique e Gisela Cossa, par que competiu pela segunda vez depois da estreia no domingo.

Junaide Cane nadou ao lado de Ahllan Bique na terceira série (última) dos 50 metros livres, tendo ficado em 14.º lugar (antepenúltimo), com o tempo de 33.77 segundos. Bique terminou em 11.º, com 32.40, numa prova ganha pelo sul-africano Cameron Burgh, com o tempo de 28.35 segundos.

Enquanto isso, Gisela Cosa e Sumeia Damão nadaram também juntas nos 200 metros livres, tendo terminado a prova em penúltimo (10º) e último (11.º) lugares, respectivamente, com os tempos de 2:30.61 e 2:41.52 minutos. A vencedora foi a também sul-africana Rebecca Meder, com a marca de 2:09.32 minutos.

Ainda ontem, a Selecção Nacional nadou nas estafetas de 4×100 mistos através do quarteto constituído por Igor Mogne, Ahllan Bique, Gisela Cossa e Layla Taquidir. Salientar que Layla Taquidir é a única que ainda não competiu em provas individuais. Estreia-se hoje, dia em que os compatriotas Junaide Cane, Gisela Cossa e Sumeia Damão voltam a entrar em cena. Igor Mogne é o único ausente e só regressa às competições amanhã, nos 400 metros livres.

Layla Taquidir vai nadar nos 400 metros livres, curiosamente ao lado de Gisela Cossa e Sumeia Damão. Taquidir, Cossa e Damão têm os tempos de inscrição fixados em 5:21.92, 5:02.61 e 5:28.21 minutos, respectivamente. O melhor tempo pertence à egípcia Reem Kassem e está fixado em 4:18 minutos.

Junaide Cane e Ahllan Bique vão também competir juntos na prova de 100 metros livres, com os tempos de inscrição fixados em 55.98 e 56.99 segundos. O melhor tempo pertence, nesta prova, ao argelino Oussama Sahnoune (49.20 segundos).

fonte: Jornal Notícias

Deixar uma Resposta